Como Conservar Rosas

Com cuidados fáceis é possível ajudar as rosas a esticarem seu prazo de validade natural e a enriquecerem mais ainda a decoração de ambiente.

Como Conservar Rosas

Ganhar – ou até mesmo comprar – rosas gera dois sentimentos: a felicidade e a tristeza. A felicidade pelo fato de possuir belíssimos ornamentos naturais, e a tristeza por saber que logo as lindas rosas, sejam elas vermelhas ou brancas, irão morrer. Mas isso tem solução! Com cuidados fáceis, e que provocam automaticamente um relaxamento, não só para o indivíduo que cuida das plantas, mas também para o ambiente em que elas são dispostas, ajudam as rosas a esticarem seu prazo de validade natural e a enriquecerem mais ainda a decoração de qualquer lugar.

rosasvermelhas

Os cuidados são essenciais a partir dos instrumentos que serão utilizados para podar e acomodar as rosas. Pode-se usar tesouras próprias para poda ou facas sem serra. Esses instrumentos específicos são importantes pois cortam a haste sem que machuque-a, se cortada de forma errônea as plantas não absorvem água o suficiente para sobreviver. É relevante acomodar as rosas num vaso de vidro, assim há como monitorar a mudança de cor da água e possíveis fragmentos, definidos como sujeira e até mesmo bactérias, que possam atrapalhar o prolongamento de vida da rosa.

Veja como é simples conservar rosas:

  • Conservantes – são vendidos em quaisquer floriculturas e atuam como alimento para a planta e um filtro para a água, deixando-a limpa por mais tempo.
  • Folhas – retire-as das partes baixas da planta, pois ao entrarem em contato com a água podem ajudar a proliferar sujeira e bactérias.
  • Haste – é importante cortar pelo menos três centímetros na diagonal, deste modo a planta consegue absorver melhor seu alimento com cinco centímetros submersos.
  • Água – temperaturas baixas são mais indicadas para a planta, pois impede que as bactérias evoluam rápido, já que as mesmas não gostam de água fria.

Hora da troca: sempre que a água aparentar sujeira, troque-a! Corte novamente as hastes, pelo menos dois centímetros, dilua o conservante e retire mais folhas se for necessário. Repita todo o procedimento acima e contribua ainda mais com a conservação de lindas rosas.

Mas, sempre há contraindicações. E são com elas que o cuidado deve ser redobrado:

  • Açúcar e Remédio – embora os dois itens sirvam como alimento para a planta, eles são grandes inimigos, pois ajudam as bactérias a se alimentarem também, prejudicando a planta.
  • Frutas – nunca deixe a planta próximo à esses alimentos. O gás etileno, que a fruta solta, ajuda a rosa a ficar velha depressa.
  • Sol e Vento – com estes aspectos naturais em excesso a planta pode ressecar e se tornar mais frágil, debilitando-a com mais facilidade e logo morrendo.
  • Ar-condicionado – o ar do aparelho causa desidratação na planta diminuindo seu tempo de vida, que é um grande inimigo das plantas e, atualmente, um dos melhores amigos do homem.
  • Regar – nunca regue a rosa, com água diretamente em suas pétalas pequenas manchas, brancas ou pretas, que são mofo, começam a aparecer e apodrecem a planta.
  • Espinhos – tem gente que acha necessário retirar os espinhos como as folhas, mas os espinhos servem como proteção para a rosa, então é melhor deixá-lo em seu lugar.

Uma dica importante durante a conservação é reparar se há um acúmulo de pó nas pétalas, então ao invés de tocar diretamente na planta é recomendado utilizar um secador em baixíssima potência para retirar todo o pó sem danificá-la.

Outra dica para quem quer continuar com a rosa após sua vida útil é fazer arranjos com as pétalas e folhas ao murcharem. Basta despetalar a rosa cuidadosamente e montar em uma base, de vidro ou papelão, uma nova rosa. Esse arranjo pode durar até as pétalas, e todo o resto, secar.

Arranjo com Pétalas Secas

Arranjo com Pétalas Secas

A criatividade fica totalmente livre, o que importa é manter o ambiente bonito e agradável.